sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Valentina



VALENTINE
Valentina by Guido Crepax


"...Para deleite dos fãs brasileiros, a editora Conrad vai lançar, em ordem cronológica e em edição de luxo, as aventuras da lânguida italiana. "Valentina - Crepax 65 - 66", o primeiro título da série, reúne as suas primeiras quatro histórias: "A Curva de Lesmo", "Olá Valentina", "Sogno" e "Os Subterrâneos".

Se viva, Valentina Rosselli teria hoje 67 anos. Apresentada ao mundo em 1965, há 41 anos, pelas mãos de Guido Crepax, que publicou na revista Linus os seus primeiros passos, a personagem mais famosa dos quadrinhos eróticos italianos volta a circular.

Surgida como coadjovante nas tramas policiais protagonizadas por Neutron - herói criado por Crepax, cuja identidade secreta era o crítico de arte americano Philip Rembrandt - Valentina foi aos poucos ganhando espaço e assumindo papel central nas histórias. Já na metade do segundo episódio da série de Neutron, "Olá Valentina", a personagem avisa: "Um momento! Desta vez eu sou a protagonista da história". Três anos e muitas páginas depois a série passaria a levar seu nome.

A estréia oficial de Crepax no mundo das HQs trouxe mudanças à estrutura narrativa dos quadrinhos. A boca, os olhos e outras partes de Valentina, presentes em cortes e enquadramentos pouco comuns às HQs da época, trouxeram uma atmosfera cinematográfica e particular às histórias que, junto seu conteúdo surreal, foram responsáveis por conferir ao trabalho de Crepax o status de arte.

Inspirada na personagem Lulu, interpretada pela atriz Louise Brooks no filme "A Caixa de Pandora", e em Luisa Crepax, a mulher do quadrinista, Valentina, além de linda, era culta. Uma fotógrafa independente, sexy e bem resolvida que tornou-se a mulher dos sonhos de homens, que perdiam o olhar entre as suas longas curvas, e mulheres, que viam nela um exemplo a ser imitado.

Criada em Milão, um dos focos do design, moda e comportamento do mundo, Valentina faz inúmeras referências à alta costura, como seu corte de cabelo Channel e o seu vestido estilo Dior. Salas repletas de artistas, intelectuais e belas ragazzas, onde circulavam inúmeras referências literárias, musicais e artísticas, eram o ambiente natural de Philip Rembrandt e Valentina Rosselli..."

Do site: http://diversao.uol.com.br/arte/ultnot/2006/06/05/ult988u645.jhtm

Nenhum comentário: